segunda-feira, 5 de maio de 2008

Lavou-me

Jesus, o Ungido do Senhor. O Servo sofredor. O Rei, Profeta e Sumo-sacerdote. O nosso Salvador. A perfeita imagem do Deus invisível. O Senhor dos senhores. O Deus compassivo e amoroso que derramou sua vida no Cálvario em resgate de muitos.
Poderíamos enumerar outros atributos pertencentes à Jesus. Mas, agora, dedicarei algumas considerações acerca da HUMILDADE inerente ao Cristo.
Voltemos, portanto, à Palestina no século I. Eis que nasce o menino Jesus, concretização da promessa do Deus de Israel que livraria o seu povo da escravidão.
Porém, muitos judeus não entenderam. Pensavam eles que o Deus Todo Poderoso enviaria um novo Davi, misto de guerreiro e político, que os libertaria do jugo romano da servidão.
Apegados a um passado glorioso e a uma religiosidade vazia, não notaram a presença do Deus encarnado. Ainda mais sendo Ele apenas um filho de carpinteiro. Deveria ser, no máximo, outro lunático pensando ser profeta.
Enganaram-se. Jesus curou, testificou a Verdade, multiplicou pães, peixes e expressou um amor pelo gênero humano jamais visto na história da humanidade. João diz que Jesus nos amou, “amou-nos até o fim” (Jô 13.1).
Este apóstolo registrou uma das atitudes mais emblemáticas de Jesus. Durante a última ceia, o Senhor tomou uma toalha, encheu uma bacia com água e passou a lavar os pés aos discípulos. Pedro, o servo impulsivo, reagiu prontamente. Ele estava assentado numa das extremidades da mesa, local em que ficava o membro mais humilde da casa, destinatário direto dessa tarefa.
Todavia, Jesus afirmou que se não o lavasse, Pedro não teria parte com Ele. Então, descobrimos uma verdade fundamental: para sermos filhos de Deus precisamos ser purificados por Jesus. Nada mais, nada menos.
Realmente, um ato surpreendente. Jesus era o Mestre. Ele é quem deveria ser servido. Contudo, em sinal de hospitalidade e respeito, num país extremamente poeirento, onde as pessoas só usavam sandálias, Ele deu-nos o exemplo e lavou-nos.
Esse gesto nos remete ao Seu sacrifício na cruz. Ali, definitivamente, seríamos completamente lavados do pecado. O sangue do Cordeiro seria derramado de uma vez para sempre, redimindo a humanidade decaída.
Você já imaginou um mundo sem Jesus?

3 comentários:

Sofia disse...

Será que ainda haveria esse mundo se Jessus não tivesse vindo, por miséricórdia e por amor, livrar-nos do pecado, livrar o MUNDO do pecado?
Se com a vinda de Jesus, sua crucificação e redençao dos nossos pecados o mundo está nesse caos que podemos ver (pais matando filhos, violência a todo lado e a aqualquer custo, falsos profetas e religiões enganosas, catástrofes da natureza - que não são, ou não seriam naturais)fica impossível imaginar um mundo sem Jesus.
Ou melhor, é mais cômodo para nós não pensarmos nessa possibilidade, pois seria muito mais doloroso pensar num mundo mais caótico e mais angustiante.

sofia disse...

Ah... gostei do blog de vcs continuem assim. Sempre estudando a palavra viva do Pai.

Jáder disse...

Oi Sofia!
Certamente já teríamos todos perecidos.
A Igreja do Senhor testifica ao mundo a verdade viva da palavra de Deus. Por isso não podemos desistir ou sucumbir.
Nos visite sempre!
Obrigado pela atenção!