segunda-feira, 26 de abril de 2010

Europa pós-cristã?

Quando dirijo de Bona à Colónia aqui na Alemanha, viajando freqüentemente pela zona oeste do rio Reno, na rodovia que liga os dois municípios, eu sempre avisto um minarete que é visível da estrada.


É difícil perdê-lo de vista, uma vez que pertence a uma mesquita islâmica localizado próximo à rodovia em um ponto da cidade que parece ser zoneadas para uso comercial leve. Minaretes da mesquita estão em forte contraste a outras pequenas empresas comerciais nas proximidades e uma discoteca nas proximidades.

A localização deste meio uma mesquita entre Bonn e Colônia reflecte a situação do Islã, em muitas partes da Europa Ocidental. Islam, como uma "minoria religiosa", está presente, mas não proeminente. E essa situação tem sido amplamente aceitável para os nativos europeus ocidentais.

No entanto, as coisas estão mudando. Não vem como nenhuma surpresa que a crescente população muçulmana na Alemanha (cerca de 4 milhões de muçulmanos, cerca de 5 por cento da população da Alemanha) deseja uma representação mais adequada para sua religião. O número de mesquitas tem aumentado nos últimos anos e a construção de uma mesquita central em Colónia, para a comunidade muçulmana dá impressão de que os muçulmanos querem a sua religião visível na rua principal, e não apenas nas ruas laterais.

A nova mesquita central de Colônia tem para os alemães a pergunta: "Como é que as grande mesquitas muçulmanas devem ser?" Entre aqueles que perguntam, Edmund Stoiber, que como governador da Baviera, queria garantir que as catedrais cristãs fossem maiores e, portanto, mais visíveis do que as mesquitas. Seu argumento é que cristãos alemães ainda compõem a maioria da população e da cultura principal do país é mais influenciado pelo Cristianismo.

A mesquita central de Colónia foi objecto de intenso debate há vários anos. O conselho de adminsitração da cidade de Colónia aprovou os planos de construção de mesquita em agosto de 2008. O prefeito de Colônia, Fritz Schramma, um membro da conservadora União Democrata Cristã (CDU), apoia o projeto, mas muitos de seus próprios membros do partido têm fortes reservas. Eles vêem a mesquita proposto como uma demonstração de força do lado muçulmano.

Quando concluída, a mesquita de Colónia terá uma sala de oração suficientemente grande para acomodar 1,2 mil fiéis. Os minaretes slim será de 55 metros (180 pés) de altura com a cúpula sobre a sala de oração, a uma altura de 35 metros (115 pés). A altura dos minaretes era um assunto de muita discussão, pois alguns se perguntavam se seriam para "competir" com a famosa Catedral de Colónia cerca de 4,5 quilómetros de distância. No entanto, a catedral é 157 metros (515 pés) de altura e vão continuar a dominar o horizonte de Colónia.

A reação do público à mesquita planejado foi misto. A cúpula será semelhante a um globo, usando o vidro transparente para permitir ver na mesquita. O prestigioso semanário Die Zeit alemão interpretou isto como um símbolo de abertura do Islã para o mundo.

No entanto, crítico do Islã Necla Kelek, cujas raízes pessoais são uma família de muçulmanos ortodoxos na Turquia, interpreta a arquitetura diferente. Segundo ela, "O mundo é um símbolo de conquista, e as pessoas podem ver a cúpula e os minaretes muçulmanos como uma exigência para obter a dominação do mundo" (http://tinyurl.com/neclakelek).

Alguns consideram que a mesquita de Colônia para ser mais que um desejo de ir para a rua principal. Eles vêem o tamanho do edifício, como prova de que os muçulmanos realmente não querem ser integrados na sociedade alemã. De acordo com Necla Kelek, a mesquita vai semear "as sementes de uma sociedade paralela. Já vimos que as mesquitas particularmente grande desenvolvimento em suas próprias cidades, Medinas própria".

O conhecido ateu Ralph Giordano concorda. Em declarações à estação de TV alemã WDR, Giordano disse: "A aprovação [da licença de construção] é uma decisão anti-integração. Mesquita do tamanho apenas mostra que os muçulmanos estão exigindo poder.

Embora as igrejas católica e luterana oficialmente apoiem a construção de mesquitas na Alemanha, a mesquita de Colónia tem levantado questões sobre a tolerância recíproca. O Cardeal de Colônia, Joachim Meisner quer que os muçulmanos na Alemanha para começar a lutar pelos direitos cristãs em países muçulmanos, em troca de mesquitas que estão autorizados a construir, na Alemanha.

O bispo de Augsburgo, Walter Mixa repreendeu as autoridades locais para a emissão de licenças de construção de mesquitas tão grande quanto a de Colônia. "Em países que são essencialmente permeada pela cultura muçulmana, os cristãos realmente não têm direitos. Portanto não devemos permitir que as mesquitas com minaretes pomposo na Alemanha. Em uma sociedade cristã é suficiente que os muçulmanos têm um lugar onde eles podem realizar orações", o bispo Mixa disse.

Fonte: http://www.wnponline.org/wnp/wnp1003/islamic-culture-europe.htm

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pode um cristão ser de esquerda?

Dizem que Churchill falou que quem não foi comunista até os vinte anos, não tem coração, e quem continua sendo depois dos quarenta, não tem cérebro. Acho que foi por isso que durante o Ensino Médio encantei-me com a ideologia marxista. Porém, o “encantamento” não durou muito: o conhecimento do fracasso da tentativa de implantar o regime comunista, e mais, as atrocidades dele decorrentes pôs meus pés no chão.

Durante a graduação conheci alguns colegas conservadores*. Todos tinham em comum uma excelente capacidade argumentativa e defendiam severamente os EUA. Eram contra as ações afirmativas e todas as formas de proteção das minorias, políticas assistenciais, movimentos sociais, expansão dos direitos sociais, etc.

Percebi que, embora dentro cada grupo houvesse certa diversidade, a forma de pensar dos socialistas e dos liberais era mais ou menos “amarrada”. Ou seja, quem era de esquerda devia defender os regimes cubano e venezuelano, o aborto, a causa gay, as cotas sociais e raciais, as políticas assistenciais, etc. Quem se identificava com a direita tinha que necessariamente abraçar os pontos que indiquei no segundo parágrafo deste texto.

Não consegui entrar em nenhum dos grupos, pois concordava com alguns pontos de ambos. Por exemplo, sou a favor das cotas sociais e sou contra o aborto, ideias que não costumam ser encontradas juntas num liberal ou num socialista. Contudo, não acho que as duas opiniões sejam contraditórias. Mas, quem foi que disse que tenho que ser socialista ou liberal?

Durante esta semana fui chamado mais uma vez a refletir sobre o tema por duas razões. A primeira, o excelente texto de Norma Braga publicado na Revista Ultimato e no seu Blog, intitulado “Por que não sou de esquerda”. A segunda foi a realização aqui na minha cidade do I Fórum de Missão Integral, do qual participei.

Entendo que a preocupação com a questão social está além do desgastado debate entre direita e esquerda. Mais que isso, o engajamento do cristão decorre do mandamento nuclear do evangelho que é o amor ao próximo.

Não quero ser nem de esquerda nem de direita.

Rejeito rótulos. Recuso-me a pensar dentro de um esquema fechado. Mas, se pensar da forma que eu penso significa ser de esquerda, tudo bem, não me importo.


* Substituí a palavra "liberais" por "conservadores", porque esta é mais específica e aquela pode provocar ambiguidade no contexto em que a inseri.

domingo, 18 de abril de 2010

Pérolas Pentecostais

Já contei uma experiência curiosa que vivenciei num culto pentecostal na postagem intitulada "Você quer fogo?". Agora pretendo listar alguns fatos que eu mesmo presenciei a fim de proporcionar alguma reflexão sobre essas coisas que acontecem em nossas igrejas (pentecostais, mais especificamente). Seguem algumas pérolas:

"Irmãos, a democracia é coisa do diabo. O próprio nome já diz: 'demo': diabo; 'cracia': governo. Ou seja, aleluia, democracia significa 'governo do diabo'!"

Como já alertei, ninguém me contou isso: eu mesmo vi e ouvi. E foi numa renomada igreja pentecostal. O pregador falou isso num culto público cheio de visitantes. Acho que qualquer um destes que lá estava e que tem um mínimo de lucidez não voltou mais.

"Amados, eu ia cantar um hino, mas Deus falou pra eu cantar outro."

Presenciei esta há poucos dias. A irmã recebeu uma oportunidade no culto e soltou essa. Eu fiquei imaginando como aconteceu esta experiência sobrenatural. Será que ela ouviu uma voz do céu que disse: "Serva minha, não cante este hino. Cante aquele do Régis Danese que eu gosto muito!"?

"Nesta noite ví muitos irmãos com os olhos abertos durante o louvor. Meus amados irmãos, Deus não opera na visão!"

Um ótimo exemplo de teologia pentecostal. Além do mais, parece que a irmã que soltou esta pérola também estava "impedindo o operar de Deus", já que seria impossível ver que os irmãos estavam com os olhos abertos sem que ela abrisse os seus...

Quem quiser colaborar com a lista de pérolas, fique à vontade.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Demônio diz que a Igreja Mundial é dele

video

O "entrevistado" também disse que fez a Igreja Mundial para roubar as "ovelhas" da IURD...

Vi lá no Veshame Gospel.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Santos promete ações para reparar incidente religioso

O presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro irá se reunir com o elenco do Santos nesta segunda-feira. O objetivo é convencer a ala evangélica do grupo a promover ações beneficentes em prol da instituição espírita Lar Mensageiros da Luz, para reparar o incidente da última quinta-feira - alguns jogadores se recusaram a entrar no local, que cuida de portadores de paralisia cerebral e outras deficiências, para participar da entrega de ovos de Páscoa.

"Alguns já me procuraram, entre eles o Ganso e o Neymar, dispostos a ir até lá. Farei uma preleção na segunda-feira para conversar com todos. A ideia inicial é que aqueles que pretendem se redimir doem os uniformes do jogo com o Sertãozinho para a instituição leiloar", disse, durante o programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

Ribeiro ainda contou o polêmico episódio em detalhes. Segundo o presidente, apenas o volante Roberto Brum havia se recusado a pisar em instituição espírita quando surgiu o convite. Quando chegaram no Lar Mensageiros da Luz, Robinho, Neymar, Paulo Henrique Ganso, André, Marquinhos, Léo e Fábio Costa preferiram permanecer no ônibus do clube.

"É interessantíssimo, pois todos sabiam aonde a gente ia. Eles tinham aplaudido a iniciativa, já que inicialmente apenas o Dorival Júnior e eu visitaríamos o lugar. O Roberto Brum, no seu direito, pediu licença para não ir e foi respeitado. Os outros mudaram de opinião quando chegaram ao recinto. Acho que eles cometeram um equívoco, cedendo a um impulso imediato. Alguém talvez tenha digo que não desse sorte", narrou o presidente, preferindo exaltar a tolerância religiosa de outros atletas.

"Onze jogadores nos acompanharam. Foi um gesto louvável de solidariedade humana no espírito da Páscoa. Eu visitei a instituição e vi cenas comoventes, de crianças que se expressam apenas com o olhar. Mas acontece. Ninguém é obrigado a fazer caridade. O que aconteceu foi um enorme mal-entendido", definiu.

Para o presidente, a juventude dos atletas do Santos é uma explicação para o incidente - apesar de muitos daqueles que não concordaram com o gesto filantrópico à casa espírita já sejam experientes. "Quando a gente ainda não passou por um processo de maturação, tendemos a tomar atitudes impensadas. Eles são meninos do bem, centrados e alegres, que estão começando na profissão agora. Foi um erro, que poderá ser reparado após o jogo com o Sertãozinho", reforçou Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro.

Fonte: Yahoo!