segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Cosmovisão

Ocorreu nesse fim de semana aqui em Itabuna o Encontrão de mocidades. Na sexta-feira foi discutido um tema bastante importante para a juventude atual: a cosmovisão cristã.

Chamou-me atenção o ponto acerca da necessidade de compreensão das cosmovisões em jogo para que haja êxito no processo de comunicação do evangelho.

Muitas vezes nós nos acostumamos tanto com a linguagem e a forma de pensar disseminada na igreja, que somos incapazes de transmitir uma mensagem para alguém que está fora desse círculo.

E outra coisa: freqüentemente encontro muitas dificuldades pra conversar com pessoas cristãs sobre alguns tipos de problemas, porque as respostas que ouço são sempre as mesmas e quase sempre não querem dizer nada...

Precisamos compreender a visão de mundo das outras pessoas, se não for assim, não conseguiremos pregar o evangelho de forma relevante. E para entender a visão dos outros, necessitamos antes abrir a nossa mente.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Kaká e Bento XVI participarão de leitura da bíblia, diz jornal

"O meia-atacante brasileiro Kaká, do Milan, o papa Bento 16 e cerca de 1.500 pessoas participarão de uma maratona de leitura da Bíblia, que será transmitida ao vivo e sem interrupções pela TV na Itália, informou o jornal "Il Tirreno".

A leitura terá a duração de 139 horas a partir do dia 5 de outubro. O ator e diretor italiano Roberto Benigni, o cantor Andrea Bocelli, o bispo ortodoxo Hilarion Aleyev, representante da igreja russa na Europa, Maria Bonafede, da Igreja Valdense, também participarão do evento que se chama 'A Bíblia dia e noite'.

Kaká é seguidor da Igreja Apostólica Renascer em Cristo e já declarou que gostaria de ser pastor após encerrar a carreira de jogador de futebol.

Em fevereiro deste ano, a Renascer expôs o troféu de melhor jogador do mundo de 2007, ganho por Kaká da Fifa, em sua sede.

O atleta também participou da Marcha para Jesus em maio em São Paulo. O evento foi organizado pela Fundação Renascer, personalidade jurídica da Igreja Renascer em Cristo, fundada pelo casal Estevam e Sonia Hernandes. Também participaram igrejas como a Universal, além de vertentes de Assembléias de Deus e igrejas Batistas."

Fonte: Folha Online

domingo, 21 de setembro de 2008

Em defesa da fé

Cada capítulo do livro é uma entrevista feita pelo autor a um estudioso cristão acerca de algum tema muito complexo do cristianismo. Questões como o sofrimento, inferno, milagres, história da igreja e outras são debatidas com bastante franqueza. O legal do livro é que o autor não se contenta com as respostas-clichês que andam freqüentemente nas bocas dos cristãos, mas que nem sempre são muito convincentes. As respostas quase sempre fogem do lugar comum das justificativas superficiais que costumamos ouvir na igreja.

É claro que nem todas as respostas são satisfatórias. Afinal de contas, são tratados temas da mais alta complexidade, e sabemos que assim com os céus são mais altos que a terra, assim são os caminhos e pensamentos de Deus mais altos que os nossos (Isaías 55:8 e 9). Por exemplo, não gostei muito da resposta dada à questão relativa a alguns atos divinos bastantes cruéis contidos no Antigo Testamento e nem da resposta sobre as sujeiras da história da igreja (como justificar o injustificável?). Em compensação, algumas entrevistas são muito boas, como a sobre os milagres, a que tratou da teoria da evolução e a acerca do inferno.

Um aspecto muito interessante é sobre o próprio autor, que é um jornalista que já foi ateu mas que se converteu após dois anos de pesquisa sobre as evidências históricas de Cristo. Desta pesquisa resultou seu primeiro livro, intitulado Em Defesa de Cristo.

Enfim, é um livro que recomendo. De vez em quando realmente necessitamos de algo que venha trazer um pouco mais de fé, e esse livro consegue fazer isso.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Assembléia de Deus compra madrugada da Band

Olha o Silas novamente....
A Band fechou contrato, em sigilo, com a igreja Assembléia de Deus, informou a coluna Ooops!. A emissora negociou o horário da madrugada, das 2h às 7h, de segunda a sexta, e das 4h às 7h aos sábados e domingos.
O contrato acontece um mês depois de a Band "arrendar" o canal 21 (em UHF) por cinco anos para a Igreja Mundial do Poder de Deus.
O valor e a duração do contrato não foram divulgados, mas de acordo com a coluna do UOL ele é de cerca de quatro anos.
Para comparar, o valor pago pelo pastor R.R. Soares à Band por uma hora de programação em horário nobre é de cerca de R$ 5 milhões mensais.
O contrato da Assembléia de Deus com a emissora foi fechado pelo pastor Silas Malafaia, que já apresenta um programa nas madrugadas da Band, o "Vitória em Cristo".
Malafaia já foi acusado de fazer sermões que promovem racismo e ódio aos homossexuais.
Fonte: Portal "Bol"

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Vitória em Cristo

Relutei um pouco a dedicar mais uma postagem à figura do Silas. Comecei a escrever. Depois parei. Quando já tinha desistido, vi uma postagem muito interessante do Faustini sobre o mesmo tema que pretendia falar. Então me senti incentivado a comentar o ocorrido.

Pense aí: o que você faria se tivesse um programa de televisão numa emissora de rede nacional? Acho que um crente veria nisso uma grande oportunidade de pregar o evangelho alcançando pessoas que, de outra forma, seria muito difícil alcançar.

Não foi isso que vi no programa de Silas nesse sábado na Band. Após torrar a paciência dos telespectadores com menções exaustivamente repetitivas à liberdade de expressão, à Constituição, ao Estatuto da Convenção, etc, passou a externar picuinhas que ocorrem no âmbito das eleições para a Convenção Geral de sua denominação, revelando alguns detalhes de uma desprezível luta pelo poder. Tudo recheado com ameaças de propor demandas judiciais.

Mas não foi só isso. Depois de dedicar um tempão a discutir sobre seus interesses políticos, adentrou na seara dos interesses comerciais, falando das relações econômicas de sua editora com a da sua denominação.

Mas que feio, hein? Será que ele acha que a imagem da igreja evangélica está muito bonita pra ele expor aquele tipo de coisa? Ou será que ele acha que o povo não precisa ouvir o evangelho, e sim as propostas dele a fim de que sua editora consiga melhores descontos diante de determinada editora?

Fala sério.

domingo, 14 de setembro de 2008

Conquista de reis

É um filme baseado na história de Ester, cujo título original é “One Night With The King”, que, aliás, é bem melhor que o título que puseram em português (inclusive não achei que esse título adotado no Brasil tivesse muito a ver com o filme...).
O filme é bom, mas sei que alguns cristãos mais conservadores podem ficar bastante incomodados com a quantidade de detalhes que destoam da narrativa bíblica (principalmente se lembrarem daquele versículo: “se alguém tirar um til ou um jota...”). Chega a incomodar um pouco também o tom piegas que muitas vezes adquire o romance entre Xerxes e Ester.
Porém, à parte essas coisas, é possível retirar muitos pontos positivos, como a beleza dos cenários e a atuação excelente dos atores. Destaca-se, principalmente, a própria história de Ester que, como vocês sabem, é belíssima.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Debate sobre o aborto

Não escondo de ninguém que não sou nenhum fã de Silas Malafaia. Aliás, reprovo muitas de suas idéias e atitudes. Porém, não posso deixar de reconhecer a força de muitos argumentos contra o aborto que ele expõe nessa entrevista. São tão bons que ele consegue deixar os interlocutores sem palavras...

video

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Rádios evangélicas: eu juro que tentei!

Segue excelente texto de José Barbosa Junior sobre a triste situação da música evangélica aqui no Brasil:

Há cerca de um mês eu mesmo me propus um desafio. Há tempos não parava para ouvir uma rádio evangélica, não que eu não tivesse tempo, eu não tinha mesmo era paciência. Mas fui duro comigo mesmo, e tentei. O que ouvi e percebi nesse desafio é o que passo a narrar neste texto.

Aqui quero abrir parênteses. Na lista de discussão do site no yahoogrupos.com.br, o Renato Fontes escreveu o seu diário de sofrimento ao passar uma semana somente ouvindo rádios evangélicas. Confesso que ele foi mais corajoso que eu. Só agüentei poucas horas... e é sobre isso que quero falar.

Minha primeira conclusão é que estamos passando por um grande deserto. A igreja deve estar passando por um grande período de estiagem, de seca. Só isso pode explicar a quantidade de músicas pedindo chuva. Faz chover, derrama tua chuva, vem com tua nuvem, abre as comportas do céu, derrama a chuva, chuva de avivamento...

Em contrapartida, também fala-se muito de fogo. Quando não é chuva, é fogo. Realmente é fogo ouvir tanta coisa assim. Tinha até uma música (?) falando do “diabo fazendo careta, e o crente com esse fogo faz churrasco de capeta”. Acho que a mesma música ainda falava de “fogo no diabo da cabeça aos pés”. As outras falavam de fogo como algo bom. Não consigo ver isso na linguagem bíblica. Fogo sempre está relacionado a destruição, juízo, etc. Era tanto fogo que, é claro, tinha que ter alguém se derretendo. Pois é exatamente o que diz uma das músicas que ouvi, num super arranjo instrumental, muita animação, uma letra boa até o ponto que fala que “eu vou me derreter...”

Lembrei-me, e não tinha como não lembrar, dos amigos de Daniel, na fornalha... nem um fio de cabelo tostado, inteiros, intactos. Eles não derreteram. Também lembrei de Paulo escrevendo aos Coríntios dizendo que “se alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um, pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo FOGO (...) se a obra de alguém se queimar (derreter), sofrerá ele dano.” Bem... eu continuo querendo não ser derretido.

Outra coisa. Alguém pode pedir para os “levitas” pararem de pregar entre as músicas? O pior é que o choro das milhares de “valadões” deu lugar a voz ofegante e “cansada” dos “Quinlans, Sheas e Fernandinhos”. Parece que os camaradas correram uma maratona antes de chegarem ali, então gritam com voz rouca, emocionada, sensual (também, com tanta música falando de beijo, abraço, colo, carinho, etc). E o público delira...

Previsão do tempo na música “gospel”: Se não tiver chuva, o tempo vai ficar nublado. Só isso pra explicar a quantidade de nuvens no céu da música evangélica. As nuvens de glória nem deixam o sol da justiça brilhar, esse é o problema. Aliás, nuvem de glória não, shekiná (esqueci que tudo agora tem que ser em hebraico). Shekiná prali, Shekiná pra lá, nuvem, peso de glória, nuvem carregada. Sai de baixo... vem temporal aí!

Aliás o tempo também está propício a romances. Como tem músicas românticas no nosso meio. Engraçado é que pra não dizerem que fizeram uma música SOMENTE romântica, todas elas têm algo do tipo “Deus quem me deu você”, só pra não admitirem que o que queriam mesmo, no fundo no fundo, era fazer sucesso no meio secular, como cantores românticos. Mas como a qualidade não é lá essas coisas, permanecem no meio “gospel”, pois aqui qualquer porcaria vende (lá também, mas o jabá é mais alto).

Outro lado dessa moeda, e esse eu acho pior, são as músicas românticas-sensuais-eróticas que são dedicadas a “Jesus”. Também, não era de se esperar menos, afinal de contas, com uma NOIVA tão desesperada...

É um tal de “quero teu colo”, “teu carinho”, “quero te beijar, te abraçar”... Mais legal ainda são algumas capas de CD´s com um Jesus “saradão” vindo resgatar a noiva. Aliás, eu gostaria de perguntar uma coisa: Quem seqüestrou a noiva??? A noiva está sendo preparada ou está em cativeiro??? Sim, porque é tanto clamor pro noivo vir resgatar a noiva que eu já nem sei mais o que pensar. E eu pensando que a noiva estava sendo adornada, purificada, preparada para as Bodas do Cordeiro. Que nada! Ela está sob domínio do inimigo, necessitando ser resgatada pela SWAT angelical ao comando do noivo “saradão”.

Aliás, realmente eles pensam que é assim. Só isso pode explicar tantos cânticos pedindo “libertação” e “cura” para os que já foram salvos. E mais uma vez eu aqui, com cara de trouxa, acreditando que a liberdade conquistada na cruz era suficiente, que o sacrifício ÚNICO de Jesus bastou para me libertar. Nada disso! Todo culto eu tenho que clamar: “Vem me libertar”, “Quebra minhas cadeias”, “Enche meu coração vazio”, “Liberta-me Senhor”. E eu pensando que “se, pois, o FILHO vos libertar, VERDADEIRAMENTE SEREIS LIVRES”. Que bobagem a minha...

Bem... na verdade foram poucas horas que consegui essa façanha de ficar ouvindo uma rádio evangélica. Não agüentei nem 6 horas... mais um pouco e eu surtava... e eu não podia surtar, estava trabalhando... sintonizei na MPB FM... e dei graças a Deus pela boa música popular brasileira...