quinta-feira, 10 de junho de 2010

Do Amor ao Próximo (Breve Reflexão sobre Mateus 5:43-48)

Algo que considero revolucionário no cristianismo é a doutrina do amor. Não quero dizer com isso que o amor nunca foi ensinado por outras religiões, mas que o enfoque dado por Jesus não encontra qualquer similar no mundo.
Devemos amar a todos, até nossos inimigos. Isto é revolucionário. O Mestre disse que o Pai faz nascer o sol sobre todos e, portanto, nós devemos amar, literalmente, a todos.
O próprio Jesus foi perseguido, humilhado, torturado e morto por aqueles a quem só fez o bem. Mesmo assim os perdoou.
Alguém poderia dizer que, sendo Deus, esta atitude não seria tão difícil para Ele. Então eu gostaria de lembrar de Estevão que, no exato momento em que era martirizado, liberava seu perdão para os carrascos.
Diariamente somos atingidos por pessoas que, em maior ou menor intensidade, voluntária ou involuntariamente, fazem brotar em nós sentimentos nada cristãos. O desafio é amá-los mesmo assim.
Não se trata, obviamente, de uma meta fácil de ser atingida. Mas o Pai não quer de nós nada menos que a perfeição. Peçamos a Ele a ajuda necessária para vivermos o que tanto pregamos.

7 comentários:

Hermes C. Fernandes disse...

Olá Anderson!

Parabéns pela proposta e conteúdo de seu blog. Já estou seguindo!

Aproveito para lhe convidar a conhecer meu blog, e se desejar também segui-lo, será uma honra. Seus comentários também serão sempre bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Te espero lá!

zalago disse...

Muito bom falar sober o amor, ainda mais esse amor fraternal entre todos os seres humanos, outro dia vir uma irmã dizer que não gostava quando cantava musicas sobre comunhão, ela dizia que era hipocrisia,em partes até concordo com ela, mas como não cantar uma verdade tão real que Jesus apresentava a nós dizendo " Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao proximo como a si mesmo" e viver isso de maneira verdadeira o que cantamos. O mundo só irá reconhecer a Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas, se nós mostrar-nos verdadeiramente esse amor mutuo entre nós. Amar, amar e tão somente amar e dá a vida ao outro, ajudar a quem precisa, reconhecer as fraquezas um dos outros isso é o verdadeiro amor que precisamos ter.
Alberto.

Anderson disse...

iHermes,
Muito obrigado. Também já estou seguindo seu blog!
Alberto,
É isso aí. O amor é a essência da nossa fé, de modo que, sem ele, não podemos sequer ser chamados de discípulos de Cristo.
Abraços.

Fáttima disse...

Essa passagem biblica é tão perfeita, tão profunda, realmente revolucionária como disse Anderson!Acredito sim, que esse amor seja a essência do cristianismo e da nossa fé, e sendo essência é imutável, logo é inconcebível buscarmos viver de forma diferente!

Shalom!

Anderson disse...

Falou e disse, amor! rs

Larissa Lübe disse...

Anderson,

Parabéns pelo blog! Já coloquei em meus favoritos!

Deus abençõe!

Anderson disse...

Larissa,

Muito obrigado. É um prazer ter você por aqui!

Paz!