domingo, 17 de outubro de 2010

Algumas Considerações Sobre o Segundo Turno


Fui provocado a escrever esta postagem depois da leitura do texto "Carta Aos Meus Amigos", do pastor Ageu Magalhães, autor do blog Resistência Protestante.
Nunca vi uma eleição que mexesse tanto com os crentes. Na internet e na televisão alguns pastores trocam farpas na defesa de seus candidatos. Na igreja também não é diferente.
O que me chama a atenção é que, de uma hora para outra, as questões morais passaram a ocupar o centro do debate político.
Quero dizer, inicialmente, que não parece ser muito consistente a discussão sobre qual dos candidatos à Presidência apresenta mais afinidade com a opinião que temos sobre as questões morais que têm sido mais destacadas no debate.
É que os dois são simplesmente iguaizinhos neste ponto. O que ambos tem dito sobre aborto, direitos homossexuais, sexo livre, etc, são apenas discurso para acariciar o eleitorado evangélico e católico. O que eles querem é nosso voto, só isso. Eles não têm compromisso com o evangelho.
O que tenho visto, porém, inclusive no texto do pastor Ageu, é que parece que apenas a candidata do PT tem opiniões contrárias à Escritura, e isso não é verdade.
Por exemplo, apesar de hoje dizer que é contra a legalização do aborto, quando Ministro da Saúde, o candidato do PSDB assinou diversas medidas regulando a realização de abortos. Também fez apologia ao sexo livre, ao popularizar o "Braúlio". Por fim, seu vice integra a frente GLBT do Congresso.
Assim, se formos seguir à risca este critério, o nosso voto deverá ser necessariamente branco. Por essa razão, optei por utilizar outra linha de raciocínio: ao invés de reduzir a análise ao campo moral, comparo as propostas apresentadas pelos aspirantes à Presidência. E, partindo deste último critério, a candidata do PT parece ser a menos pior.

7 comentários:

Jáder disse...

Há muito tempo estava desejando escrever um "post" sobre este tema, mas os afazeres cotidianos não me estavam dando sossego.
Então, fico feliz pelo seu texto e pela oportunidade de comentá-lo.
Estou verdadeiramente espantando com o aproveitamento eleitoral de temas importantes para a religião cristã, sobretudo por dois candidatos (e boa parte das respectivas militâncias) que não são cristãos e não desejam outra coisa senão o voto oportunista e ideológico (voltamos aos cabresto).
O Estado brasileiro é laico. Não se pode misturar as crenças pessoais com políticas governamentais. Dilma e Serra não são legisladores. Se um dos dois for eleito, irão para o mais alto posto do Executivo nacional, não para o Congresso.
Não me lembro desse estardalhaço todo em torno do aborto e da união civil de homossexuais em relação aos já eleitos deputados federais.
Fico triste com o uso eleitoreiro da fé e que figuras conhecidas como Silas Malafaia compareçam à programas partidários para subsidiar ideologicamente o voto em determinado candidato, ainda mais quando se sabe que Deus é quem estabelece as autoridades, quaisquer que sejam elas.
Portanto, fico com as palavras do magistral poeta nordestino Jessier Quirino, quando diz que o cara para ser político no Brasil ele deve, entre outras coisas:
"gritar aleluia em igreja pegue e pague, alegrar sessão espírita, assistir meia missa e sair comungado, batizar "minino" feio com o nome de Desmenielisson Jerry, dar de comer do melhor e comer porcaria".
Após a patifaria do segundo turno, Machado de Assis terá razão:
"Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas".

Ah! Na minha opinião, entre os males, o menor: Dilma!

Pena que vou justificar o meu voto...

Fáttima disse...

Fico espantada com tamanho estardalhaço ocorrido no meio "gospel" nessas eleições, é irritante v uma multidão de cristãos repassando e-mails, correntes com tantas inverdades sem mesmo buscar a confirmação de tais informações, perpetuando boatos que se não verdadeiros, de agora em diante terão que ser!E o mais preocupante é que nessas eleições a mídia( elite) fez com que o tema de discussão de todo processo eleitoral fosse meramente questões fragmentadas e isoladas sem nenhuma contextualização, e devemos lembrar que o que de fato importa é a discussão de 2 diferentes projetos de nação.Não tenho ilusões quanto a um governo perfeito e maravilhoso por parte de um dos atuais candidatos, mas concluo quando analiso os fatos que o governo atual fez avanços históricos e primordiais em nossa nação, concordo com a fala da filosofa Marilena Chauí quuando diz que "o governo de lula é marcado pela consolidação da democracia, pois a mesma se caracteriza pela criação e garantia de direitos", e durante esses 8 anos assistimos de perto o acesso a cidadania, aos direitos sociais de milhões de brasileiros que estavam na linha da exclusão, dentre tantos outros avanços. Diante de tudo isso é mais seguro colocar alguém que comungue da mesma ideologia política, e não um candidato que faz parte de uma política neoliberal, privatizadora e opressora. Peço a Deus que o seu povo pare de espiritualizar tudo e lembre-se que somos feitos de corpo, alma e espirito...é preciso deixar de ser criança na fé!

Por ser nesse momento a unica possibilidade de continuidade da consolidação da democracia, fico com a DILMA!

rsmiranda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rsmiranda disse...

Eu concordo plenamente com todo conteúdo exposto, inclusive fiz um post "Dos males o menor.." no blog que acabei de criar. Estava sem saber o que escrever para inaugurar, então, nada mais justo do que escrever sobre o segundo turno. Realmente, nenhum dos candidatos tem compromisso com o evangelho,e querem apenas conquistar o poder e manter-se nele, corroborando com a "velha" teoria maquiavélica.

Bjss

Anderson disse...

Jáder, Fátima e Raquel,

É muito bom saber que nem todos os crentes estão seguindo a lógica reducionista nesse debate político. Devemos enxergar bem mais que uma simples briga entre pró e contra aborto.

Abs,

Anderson

Carlos Seino disse...

Belo texto. Concordo plenamente e fiz a mesma opção.

Anderson disse...

Obrigado por seu comentário, Carlos.
Volte sempre!