terça-feira, 25 de agosto de 2009

COMO ZAQUEU?

Às vezes me surpreendo em algumas igrejas quando sou levado a entoar canções de louvor ao Senhor recheadas de impropriedades teológicas, erros de português e até insinuações genéticas.
É um tal de "querer ver a face de Deus", "tenho adoração em meu DNA".... "chega mais perto de mim", "quero tocar-te, deitar em teu colo" entre outras pérolas do cancioneiro contemporâneo "cristão" "estilo adoração".
Informo aos queridos leitores que não estamos sozinhos nesta preocupação. Há muita gente preocupada com as besteiras que andam sendo cantadas por aí.
Vejam esse texto do Pr. Ciro Sanches Zibordi, da Assembléia de Deus em Niterói - RJ.
"Alguns internautas têm me instigado a analisar a composição “Faz um milagre em mim”. Eu vinha evitando fazer isso, a fim de não provocar a ira dos fãs do cantor que interpreta esse hit “evangélico”.
Afinal, vivemos em uma época em que dar uma opinião à luz da Bíblia desperta a fúria daqueles que dizem ser servos de Deus, mas são, na verdade, fãs, fanáticos e cristãos nominais.Resolvi, pois, atender os irmãos que desejam obter um esclarecimento quanto ao conteúdo da canção mais cantada pelo povo evangélico na atualidade, a qual começa assim:
“Como Zaqueu, eu quero subir o mais alto que eu puder”.Primeira pergunta para reflexão: Zaqueu, quando subiu na figueira, era um seguidor de Jesus, um verdadeiro adorador? Não. Ele era um chefe dos publicanos, desobediente a Deus e corrupto (Lc 19.1-10).
Nesse caso, como um crente em Jesus Cristo, liberto do poder do pecado, pode ainda desejar ser como Zaqueu, antes de seu maravilhoso encontro com Jesus?Segunda pergunta para reflexão: Por que Zaqueu subiu naquela árvore? Ele estava sedento por salvação? Queria, naquele momento, ter comunhão com Jesus? Não. A Palavra de Deus afirma: “E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um varão chamado Zaqueu; e era este chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (Lc 19.1-3).
Ele não subiu na figueira porque estava desejoso de ter comunhão com Jesus, mas porque estava curioso para vê-lo.Terceira pergunta para reflexão: O verdadeiro adorador deve agir como Zaqueu, ou como o salmista, que, ao demonstrar o seu desejo de estar na presença de Deus, afirmou: “Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” (Sl 42.1,2)? Será que o pecador e enganador Zaqueu tinha a mesma sede do salmista? Por que um verdadeiro adorador desejaria ser como Zaqueu?Mas o hit “evangélico” continua: “Só pra te ver, olhar para ti e chamar sua atenção para mim”.
Outra pergunta para reflexão: Será que precisamos subir o mais alto que pudermos para chamar a atenção do Senhor? Zaqueu, segundo a Bíblia, subiu na figueira por curiosidade. Mas Jesus, olhando para cima, lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). Observe que não foi Zaqueu quem chamou a atenção de Jesus. Foi o Senhor quem olhou para cima e viu aquele pecador perdido e atentou para ele (cf. Mt 9.36).
A atitude de Zaqueu que nos serve de exemplo não foi o subir, e sim o descer, para atender o chamamento de Jesus: “E, apressando-se, desceu, e recebeu-o gostoso” (Lc 19.6). Por conseguinte, pergunto: O adorador, salvo, transformado, precisa subir para chamar a atenção de Jesus? Não. Na verdade, o Senhor está com o contrito e abatido de espírito (Is 57.15). Espiritualmente falando, Ele atenta para quem desce, e não para quem sobe (Sl 138.6; Lc 3.30).
Mais uma pergunta para reflexão: Se a atitude que realmente recebe destaque, na história de Zaqueu, foi a sua descida, por que a canção enfatiza a sua subida? O mais lógico não seria cantar “Como Zaqueu, eu quero descer”? Reflitamos. Afinal, como diz uma frase que circula na grande rede, o Senhor Jesus morreu para tirar os nossos pecados, e não a nossa inteligência.
A composição não é de todo condenável, pois o adorador que se preza deve mesmo cantar: “Eu preciso de ti, Senhor. Eu preciso de ti, ó Pai. Sou pequeno demais, me dá a tua paz”. Mas, a frase seguinte provoca outra pergunta para reflexão: “Largo tudo pra te seguir”.
Estamos mesmo dispostos a largar tudo para seguirmos ao Senhor? E mais: É preciso mesmo largar tudo para segui-lo?O que o Senhor Jesus nos ensina, em sua Palavra? Em Mateus 16.24, Ele disse: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. Renunciar não é, necessariamente, abandonar, largar, mas pôr em segundo plano. A própria família pode ser um obstáculo para um adorador. Deve ele, nesse caso, largá-la, abandoná-la? Claro que não! Renúncia equivale a priorizar uma coisa em detrimento de outra.Não precisamos largar a família, o emprego, etc. para seguir o Senhor!
Mas precisamos considerar essas coisas secundárias ante a relevância de priorizar a comunhão com Jesus (Mt 10.27). Nesta última passagem vemos que o adorador deve amar prioritariamente o Senhor Jesus, mas sem abandonar tudo para segui-lo! Não confundamos renúncia com abandono. O que devemos largar para seguir a Jesus é a vida de pecado, e não tudo.A canção continua: “Entra na minha casa. Entra na minha vida”. O compositor se refere a Zaqueu, mas não foi este quem convidou o Senhor para entrar em sua casa. Na verdade, foi Jesus quem lhe disse: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5).
Nota-se, pois, que esta parte da canção não é essencialmente cristocêntrica, e sim antropocêntrica. Mais uma pergunta para reflexão: O hit em apreço prioriza a obra que Jesus faz na vida do pecador, ou dá mais atenção ao que o homem, o ser humano, faz para conseguir o que deseja?
A canção enfatiza a Ajuda do Alto, ou a autoajuda?Outra pergunta: Um verdadeiro adorador, um servo de Deus, alguém que louva a Jesus de verdade, que canta louvores ao seu nome, não é ainda uma habitação do Senhor? Por que pedir a Ele que entre em nossa casa e em nossa vida, se já somos moradas de Deus (Jo 14.23; 1 Co 6.19,20)?A parte mais contestada da composição em apreço sinceramente não me incomoda muito: “Mexe com minha estrutura. Sara todas as feridas”. Que estrutura seria essa? No Salmo 103.14 está escrito: “... ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”. Deus, é claro, conhece-nos profundamente. Ele conhece a totalidade do ser humano: espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23; Hb 4.12).
Creio que o compositor tomou como base o que aconteceu com Zaqueu. O seu encontro com o Senhor mudou a sua vida por completo, “mexeu com a sua estrutura” (Lc 19.7-10). Deus faz isso na vida do pecador, no momento da conversão, e continua a transformar os salvos, a cada dia (2 Co 3.18).Quanto a sarar feridas, o Senhor Jesus de fato nos cura interiormente. Mas não pense que estou aqui defendendo a falsa cura interior, associada a regressão psicológica, maldição hereditária, etc. Não! O Senhor Jesus, mediante a Palavra de Deus e a ação do Espírito Santo, cura os quebrantados do coração, dando-lhes uma nova vida (Lc 4.18; 2 Co 5.17).
Diz ainda a canção: “Me ensina a ter santidade. Quero amar somente a ti. Porque o Senhor é o meu bem maior”. Sendo honesto e retendo o que é bom na composição (1 Ts 5.21), Deus, a cada dia, nos ensina a ser santos, em sua Palavra (Hb 12.14; 1 Pe 1.15-25). Além disso, Ele é, sem dúvidas, o que temos de mais precioso mesmo e, por isso, devemos amá-lo acima de todas as coisas (2 Co 4.7; Lc 10.27).Quanto à última frase “Faz um milagre em mim”, o compositor comete o mesmo erro de português constante da campanha de publicidade da Embratel: “Faz um 21”. Na verdade, no caso da canção o correto seria: “Faze um milagre em mim”. E, no caso da Embratel: “Faça um 21”. (...)
Diante do exposto, que os pecadores, à semelhança de Zaqueu, desçam, humilhem-se, a fim de receberem a gloriosa salvação em Cristo (Lc 18.9-14). E quanto a nós, os salvos, os verdadeiros adoradores, em vez de subirmos o mais alto que pudermos, que também desçamos a cada dia, humilhando-nos debaixo da potente mão de Deus (1 Pe 5.6), a fim de que Ele nos ouça e nos abençoe (2 Cr 7.14,15)."

11 comentários:

Klaus Hoeflick disse...

É hora de engrossarmos a turma dos "chatos", para que de fato, em um futuro próximo, não sejamos confundidos com "a maioria", "o oba-oba", o sentimentalismo neo-glacê que toma conta de muitos numa necessidade frenética de demonstrar o poder de Deus em suas vidas, de ter algum mérito em realizar Sua obra aqui na Terra, e principalmente, de fazer apenas boas poesias carentes de teologia, ou, numa análise superficial, um pouquinho de leitura bíblica.

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamados,

A Paz do Senhor!

Sou grato ao Senhor, pela postagem desta matéria de suma importância.

Devemos intensificar as denúncias, quanto ao misticismo de certas e inusitadas canções, que nada dizem e muito menos, dizem alguma coisa, conforme a orientação bíblico.

Carecemos de homens como o nosso amado pr. Ciro Zibordi, em conhecimento e argumentos que ensinam sem vacilar pela sua consistência espiritual e grande experiência de vida ministerial, sem possuir, as marcas das heresias, motor este, argumento de alguns pregadores iluminados pelo seu próprio EU.

Bom poder estar à frente com verdades sem nenhuma especulação, mas definidas para quem deseja conhecer de verdade as verdades com base na Bíblia.

O Senhor seja com vocês!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com
Contra a Falácia da Prosperidade!

Fáttima disse...

Muito boa a postagem!Realmente os "hits evangélicos" são verdadeiras "impropriedades teológicas", se começassemos a listar e dicuti-las muito pouco restaria de aproveitável!
Grata a Deus por vcs postarem mensagens que nos edificam!

Abraço

Fáttima Lago

Frank disse...

Mto bom amigo!gostei da postagem,devemos abrir a pente,avisão de povo,sobre mtos hinos q tem sido cantados nas igrejas.Eu numk concordei bem cm a letra desse hino:'entra na minha ksa,entra na minha vida'.A primeira vez qndo aceite Jesus serar q Ele naum entrou na minha vida não?.Parabêns por essa postagem,de Deus.

Déborah Santana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Déborah Santana disse...

Procurando na internet a letra da música "Faz um Milagre em mim! encontrei este blog.
Considerei pertinentes as suas observações e análises, además as citações das passagens bíblicas.
Particularmente gosto da música e me interessei ainda mais após ler sua análise. Gostaria de compartilhar minhas opniões com vocês. Discordo em alguns trechos.
"Como Zaqueu, quero subir o mais alto que eu puder, só pra te ver, olhar para ti e chamar sua atenção para mim." O fato de querer subir ao alto de uma árvore para ver quem era Cristo, mostra que zaqueu desejou conhecê-lo, desejou saber quem era aquele homem que despertava na multidão o desejo de estar com Ele. Subir, serviu para que Zaqueu pudesse avistar Cristo, que teve sua atenção voltada para aquele homem que subiu em uma árvore para vê-lo. Quantos de nós queremos que Cristo volte sua atenção para nós? Muitos ainda não sabem que Ele sempre está a nos observar. Qual o problema em desejar isto? "Entra na minha casa, entra na minha vida" É um convite ao Senhor, para que Ele entre em nosso lar, participe da nossa vida. Temos o livre arbítrio para desejar ou não isto. Qual o problema em convidar a Cristo para nosso lar? Eu Oro para que Seu Santo Espírito possa visitar meu lar, meu local de trabalho, possa estar comigo e com minha família. "Largo tudo para te seguir" Amigo, você já ouviu falar em figuras de linguagem? Hipérbole? Metáfora? Largar tudo, pessoalmente acredito que o autor da música se refere exatamente aos pecados e a vida iníqua que temos. O Senhor não quer que abandonemos nossa família, amigos e tudo aquilo que nos proporciona uma vida saudável e digna. "Faz um milagre em mim" É um pedido a cristo. Podem acontecer verdadeiros milagres na vida daqueles que realmente tem fé e necessitam. Caro amigo, você como seguidor de cristo ainda é falho. Somos todos falhos. Pecamos e precisamos constantemente de arrependimento. Esta música não foi escrita para homemns perfeitos, pois eles não existem.
Por ultimo, quero dizer que, o verbo fazer, conjugado no imperativo é faze (faze tu, um milagre em mim) é correspondente ao faz, escrito na música.
E mais, se na propaganda da Embratel fosse utilizado "faça" seria imposição de algo ao consumidor. Podeira ocasionar o efeito contrário. Quem quer receber ordens de uma operadora? Dizer, faz um 21, é muito mais suave. Isso é jogo de Marketing.

Francisco disse...

Coitado do Zaqueu... Sobrou pra ele. 8)

Kaynus disse...

Existe pertinência em algumas críticas, mas o importante pra Deus não é o que vocÊ acha e sim um coração quebrantado e contrito. A forma de como é exprassada, não é o que importa, o que Ele olha realmente é o seu coração. E você realmente quer perder tempo em criticar as letras de música ou servir ao Senhor com alegria e apresentar á Ele com cânticos. Eu num entanto só quero fazer à vontade Dele!!! O seu tempo é precioso e saiba que o Rei está voltando...

juninho disse...

tem tanta sabedoria, e entendimento, pra parar e fazer um comentario desses, procurando erros em um louvor que vem alcançando almas, muitas almas se convertendo ao Senhor Jesus, depois que passaram a meditar neste louvor. O autor desta postagem sim deve, rever o que diz, quando diz que temos que colocar Deus como prioridade, e as demais coisas em segundo lugar! Deus não quer ser prioridade na vida de ninguém, ELE tem que ser EXCLUSIVIDADE.

josembergue... disse...

Zaqueu como a bíblia nós mostra não era um verdadeiro adorado, nem era perfeito, mas buscava naquele momento conhecer a Jesus, (Lucas 19:3) - E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. Mas ele não desistiu, (Lucas 19:4) - E, correndo adiante, subiu a um sicômoro para o ver; porque havia de passar por ali Jesus. (Lucas 19:5) - E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa. Si Zaqueu não tivesse subido na arvore não teria chamado atenção de Jesus, não que Jesus não soubesse da vida de Zaqueu, mais foi preciso Zaqueu subi na árvore para que ele conhecesse a Jesus. E conhecendo a Jesus ele si arrepende-se de sua vida de erros, (Lucas 19:8) - E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. Isto e que importa temos que nos arrepender dos erros, mas para isto precisamos conhecer a Jesus, como Zaqueu não importa como estamos antes de conhecer e si depois, (Lucas 19:6) - E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente. (Lucas 19:9) - E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Não importa as criticas pois quando Jesus anunciou que iria se hospedar com Zaqueu também houve, (Lucas 19:7) - E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. Vamos buscar anunciar Jesus, e não confundi a mente dos que não tem um bom entendimento....

Jáder disse...

Olá!
Gostaria de agradecer aos irmãos, amigos e leitores que têm contribuído com o debate acerca de questões importantes na vida dos cristãos de nossos dias.
Ao postar o texto do Pr. Ciro Zibordi, não imaginei que iria despertar tantos e calorosos comentários.
Inicialmente, saliento que concordo com as críticas feitas por ele à letra da música do Régis Danese.
Conforme disse Lutero, a nossa vontade é escrava do pecado e por isso Déborah, não temos livre arbítrio, pois, por nossas inclinações naturais, nunca desejaríamos subir em árvore ou fazer algo para chamar a atenção de Jesus ou agradá-lo.
Apenas o Espírito Santo pode convencer o Homem da Justiça, do Pecado e do Juízo.
Quando você diz "O Senhor não quer que abandonemos nossa família, amigos e tudo aquilo que nos proporciona uma vida saudável e digna", está errada.
Veja o que o Senhor Jesus disse e foi registrado por Lucas: "Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.
E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.
Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,
Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?
De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz.
Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo".
Por isso, quando cantamos, devemos refletir naquilo que estamos falando e perceber que não podemos prometer algo ao Senhor se não pudermos cumprir. Você já largou tudo para seguir à Jesus? Tenho certeza que isso não é hiperbole ou metáfora ou qualquer outra figura de linguagem...
Vamos anunciar sim o Evangelho da Salvação, mas com verdade e integridade, amparados na palavra de Deus e em oração para evitarmos erros teológicos crassos.
Soli Deo Gloria!
"Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes se escoassem de diante da tua face,
Como o fogo abrasador de fundição, fogo que faz ferver as águas, para fazeres notório o teu nome aos teus adversários, e assim as nações tremessem da tua presença!
Quando fazias coisas terríveis, que nunca esperávamos, descias, e os montes se escoavam diante da tua face.
Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.
Saíste ao encontro daquele que se alegrava e praticava justiça e dos que se lembram de ti nos teus caminhos; eis que te iraste, porque pecamos; neles há eternidade, para que sejamos salvos?
Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam.
E já ninguém há que invoque o teu nome, que se desperte, e te detenhas; porque escondes de nós o teu rosto, e nos fazes derreter, por causa das nossas iniqüidades.
Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das tuas mãos". Isaías 64.1-8.